١١‏/٤‏/٢٠٠٣

porque quando a cal�a serve, a blusa desfia???
porque sempre na vida da gente um aspecto tem que estar mal??? alguem explica?
Cris sabia que estava pra ser demitida no emprego. Ora pediam coisas contradit�rias, ora tudo o que ela fazia era em v�o. Elaborava planilhas complexas, Planejamentos estrat�gicos inteiros e abandonavam numa pilha que ela mesmo apelidou de privada da Cris.
No in�cio averiguava com exatid�o cada n�mero, cada cifra, temendo errar e por em risco a empresa que trabalhava. A empresa era uma bosta mesmo, onde a coisa mais legal que tinha pra fazer era fofoca sobre o peito da Babi.
N�o que Cristina fosse pregui�osa. Ela s� n�o queria ter tanto trabalho para nada. E quanto mais ela rezava, mais tabelas e planilhas lhe eram solicitadas. Pensando em como seria o dia de sua vingan�a contra sua chefe velha e rabugenta lhe foi solicitada mais tr�s planilhas complicad�ssimas.
Mentiu numeros, errou contas, deixou de calcular diversas tributa��es, juros, mora. Ninguem ia olhar mesmo... Pra que se envolver?
Na delegacia, presa como cumplice por falsifica��o de dados, Cris teve um ataque de choro. Contou toda a verdade, mostrou cada relat�rio. Recebeu uma proposta de aumento e promo��o. Desde que agora ela errasse muito os numeros, mas para menos.
ser chamada de c�nica logo cedo naum eh a coisa mais bacana que pode acontecer a uma garota, eh?

٩‏/٤‏/٢٠٠٣

Ana L�cia amava Gerson mais que tudo na vida. Mas nem por isso ela tinha de aturar todo s�bado a noite aquela chatice de chopp ao som de L� Borges com os amigos dele. No in�cio ela at� aceitava bem, mas com o tempo come��u a odiar tudo o que remetesse a esse epis�dio triste em sua vida. Detestava os estudantes de sociais da USP, os saraus no bar do Pedr�o, e principalmente o Feiti�o de Aquila.
Por mais que Ana insistisse, Gerson argumentava n�o ter nada melhor pra fazer e que ficava chato ela n�o acompanha-lo. Se ela inventava uma dor nas costas, aparecia um sobrinho dele, ou cunhado pra melhorar o astral e carrega-la pra mais uma choppada com L� Borges.
Sentindo que seu problema n�o teria mais fim, resolveu inventar uma choppada em casa. Descolou cds da C�ssia e Ana Carolina, temperou meio quilo de queijo prato e esperou pelos convidados.
Quando todos estavam j� bem entrosados algu�m coloca a nuvem cigana no cdplayer. Iso era o fim para Ana. Era incontrol�vel. Ela tinha que acabar com o mal de vez. Foi � cozinha e pegou o fac�o de peixe. Matou Gerson, duas amigas, um sobrinho, uma prima dele. Por pouco n�o matou Pipoca, o poodle, que conseguiu fugir. No enterro, fez quest�o de colocar a discografia inteira do L� em cada caix�o junto com o morto. Quando Cintia perguntou o porqu�, ela disse que no mundo seriam quarenta e cinco L� Borges a menos. Cintia concordou com a cabe�

٧‏/٤‏/٢٠٠٣

Monica conheceu Paulo na festa da festa da irm� duma amiga da prima...na festa deu tanta merda que ela ficou horrorizada...apesar do jeit�o moderno e do cabelo em moicano a menina era uma flor... era estagi�ria numa produtora, e fazia mil contatos. vezes ou outras descolava um namoradinho rapper e logo desistia... tinha mil pira��es e preferia naum dividi-las.
Mas com Paulo seria diferente, ele era tudo, simplesmente tudo o que Monica sonhara a vida toda. Mesmo tocando seu baixo em slap o cara ainda fascinava a menina.
Se encontraram mais umas duas vezes. Numa delas conseguiram ficar juntos. Monica quase chorou de felicidade. Deram lah meia d�zia de beijos e ele foi embora, porque a carona que passava na casa dele jah estava de sa�da.
Depois disso a vida de Monica foi aprofundar-se na vida de Psulo sem que ele soubesse. Com a ajuda da prima, da amiga da prima e do irm�o da amiga da prima, Monica conseguiu montar at� o mapa astral dele... E o pior, sabia que combinava com ela...Nossa ele ama macarronada, Cristina! comentava entusiasmada a cada nova descoberta. Ele jah namorou s�rio com 4 garotas e uma delas se mudou pro Paran�...menos uma!
Mas o destino foi cruel e levou o caminho de cada um prum lado. Paulo e Monica nunca se encontraram mais. Foram se cruzar no casamento do primo da irm� da amiga da prima dela, e por um mero acaso.
Lembra de mim, ela perguntou at�nita.
N�o, ahh, simmm...Monica, neh? tudo bem garota?
O que se seguiu foi uma sess�o essa eh a sua vida, seguida por um desabafo emocionado recheado de beijinhos.
Come�aram a se encontrar quase que diariamente na UNIP, onde ele ia busca-la, ou nos bares da vida. Pra Monica a vida n�o fazia mais sentido sem Paulo... Sem ele sair n�o tinha gra�a, e sabendo que seu futuro estava reservado pra ele, resolveu de guardar o m�ximo que p�de.
N�o aguentando mais de tes�o eles resolveram sair num s�bado j� prevenidos sobre o destino. No motel, Monica se entregou totalmente e Paulo prop�s a garota algo totalmente inovador para ela
Vira pra mim???
Doer, doeu, mas Monica de t�o apaixonada, suportou com gosto e at� gozou.
No dia seguinte Paulo n�o ligou pra Monica. Quando questionado pelo primo da amiga da prima dela, foi taxativo:
Sai fora, meu a mina d� o cu de primeira!
resumo de uma �pera mal sucedida:
sexta: gang, est�dio, soninho gostoso... caralho, Nel, 11 e meia! vamo logo...
lah fomos n�s de novo pro Grazie a Dio... duas gim tonicas foram suficientes pra eu cambalear...
voltamos carregando o primo do Daniel q este fingiu esquecer no boteco...
acordei com o Nel passando mal e preferi ficar na cama ateh as 6 da tarde...

sabad�o: achapa com saladinha e cambridge...
gim 1: juliana passa a m�o no pau do Nel e me pede pra trepar com ele... ia ser engra�ado, mas naum. Juliana passa m�o no pau do dj , amigo meu ha uns 10 anos, Juliana passa a m�o no Daniel e Camila encrenca comigo de quebra..
�� Franguinha, pra quem jah enfrentou ateh a karen vc naum me intimida...
gim 2: Juliana passa a m�o no Domingos e Bet�o (q estava tocando baixo) viu...Juliana diz: quero Domingos... Nossa, cara naum eh poss�vel q o Gazolla comia a karen! Naum, Domingos quem comia era esse sonso aqui...
caipirinha de maracuja: oi Cris (hic!)...Vamos pra trash! (hic!)

gim 3: Nel, eu quero o pau do Eneas! Van : Eh todo seu, mas naum me meta na historia... engra�ado (hic!) Nossa, puleiro...
Van, vc tah bebada (BAH!!!) Nel, sai daih agora, para de olhar pra mina! que mina? (hic!)...desculpa, Nel..
Van, naum vou deixar de amar vc nunca, viu??
gim 4: bicha truqueira!! nossa, menina, e nosso anivers�rio hein? ah, vou dan�ar isso...Larinha, sobe aqui! Priscila, cade a ??/a...???? a...?? putz, bebi demais
cerveja: ai, Nel, naum vai tocar Sonia naum?ah!! me esqueci, vc vai ficar 2 semanas sem...Porque? ah, naum...
gim 5: Van, pega bebida lah, minha comanda tah contigo. Brigad�o, tonyy!!! Van, olha o Paulo e a Cris... Onde? quem??? nossa, ateh que seu nariz n�o eh torto... open your mind...and your ass will foloow you...Vem dan�ar... ahh, gostava disso...se��o de heavy farofa com cabe�as e guitarras voadoras
gim 6: tchau! ai, seu pau tah duro... Nel, vamos embora, jah tocou vanilla! Vc assina isso? assino, eu vc, ele e a Ju... e vc pode fazer a Ju bonito tb...Posso?? Tah assinado...

Resumo: Dor de cabe�a daquelas, um papel assinado dizendo que o Nel pode comer a Ju, 100 pilas a menos na conta... exciter descontrol...hmmm, se ela fosse maaaais sonsa...Van, toma tua linha
Agora entendo porque rodou bonito...