٢٤‏/٢‏/٢٠٠٥

sessenta e dois dias

fazem exatos 62 dias que você se foi.
e não há um dia sequer que saia da minha mente
da revistinha vendida na banca ao yesterday de uma caixinha e música...
duma foto à qualquer episódio de qualquer seriado bobo na tv,
tudo me faz lembrar você

as roupas, os cheiros, os passeios
as tristezas, os domingos que preguiçosos, passam tão lentos...
que às vezes choro, as vezes penso
que serão 65 dias exatos no próximo domingo

quanta coisa fizemos em 65 dias?
me apaixonei, me mudei, pedi pra você ficar...
aprendi a cantar direitinho músicas que nem imaginaria ouvir
e hoje não vivo outro som

e agora, contarei até 100?
pra que? não disputo nada?
pensando bem, disputo sim... a saudade que não sai de mim
tudo me faz lembrar você

duma gretsch desafinada nas mãos um amigo
ao poster colado no quarto, onde leio
que aquilo qie recebemos é o que damos...
meu Deus, devo ter mercido tamanho dano?

a ficha caiu...

terça fui ao psiquiatra. tamanhas vezes ouvi que devia ser louca que agora visito um com regularidade...
sem ao menos conhecer o Nelsinho, ele conseguiu traçar seu perfil tal qual um vidente... fiquei impressionada!
bem, se soubesse antes que as coisas estavam nesse ponto, teria eu tomado uma atitude mais drástica com a vida dele, com a nossa, com a minha...
mas quem sou eu, diante um mundo tãããão grande para achar que sou capaz de mudar a vida de alguém?
bem, quem sou eu também, pra achar que não consigo mudar nada nesse mundo tãããããõ grande?