١٧‏/٦‏/٢٠٠٥

born to lose

fui ao medico segunda... eh sempre muito legal, porque sempre que vou jah estou num estado de nervos que preciso de alguem apagando meus incendios.
dessa vez levei uma bronca por esperar ajuda dos outros. esse eh meu problema. eu espero DEMAIS das pessoas porque me levo muito a serio. meço as pessoas pela minha regua. o que sempre garante uma bela cara na porta.
o medico teve de concordar numa coisa: o mundo estah mais neurotico, as pessoas estao mais egoistas e problematicas e tendem a ajudar menos umas as outras. o porque disso? talvez porque as pessoas temam o sucesso alheio, temam que o sucesso alheio implique devidamente no seu fracasso, e que as pessoas tem de competir o tempo todo... mas o que eh isso? o fim do mundo?

١٦‏/٦‏/٢٠٠٥

briga interna - o que odeio

odeio ter que ficar num lugar que nao gosto. odeio perder a razao e odeio quando as pessoas olham pra mim com cara de vitoria. prefiro mil vezes que me vejam como coitada a escarrar o sucesso na minha cara. odeio quando as pessoas fingem que nao veem, odeio quando elas veem e fingem que nao estao nem ai. odeio quando me torno um transtorno, um peso na vida de alguem, talvez por isso passe tanto tempo sozinha. odeio quando o que tenho dentro de mim nao sai. nao tomo açao nenhuma, so fico a espreita de um dia melhor. odeio fingir felicidade, e odeio repetir a mesma historia quando ela insioste em sair da minha boca, porque afinal, tudo se apagou la dentro. voces ainda nao perceberam isso?

briga interna - parte um

onde estao os humanos agora????? onde estao as relaçoes afetivas baseadas nas trocas mais puras que as pessoas poderiam fazer? na troca de gentilezas, de abraços, de uma mao estendida quando um amigo chora longe?
Essas trocas foram todas substituidas, nao extraidas do nosso convivio. trocamos de amigos como de roupas, trocamos as intençoes de uma amizade real por um emprego, um voto, um real... Perdemos tanto, so nos mesmos, com essas bobagens que o tempo fara nos esquecer, e perdemos mais ainda, perdendo amigos leais.
hoje, seu tempo eh curto, voce nao pode perde-lo me escrevendo. e claro, se tivessemos intençoes mais claras de quao longe nossa amizade poderia chegar voce me escreveria a mais bela carta de amor... hoje voce se esquece dum acaso marcado, duma data tramada... esqueça mesmo, mas de todo o resto, porque o que o mundo tenta lhe mostrar voce finge nao entender... e voce, voce troca as pessoas como mercador barato. troque minha amizade fiel por uma porçao de moedas. As moedas acabarao, certo dia.

a mesma boca que beija eh a que escarra
a mesma mao que bate eh a que afaga

١٤‏/٦‏/٢٠٠٥

Taí...caiu a ficha!

Ah, a quem inetresse saber o trágico fim do meu sábado.
O Ricardo ligou no domingo. Eu estava auxiliando uma cliente com a saia dela. Não deu pra falar. Ele deve ter ligado mais tarde, mas não ouvimos o celular tocar. Como ele disse à Ana que iria ao Mercado Central, esperamos a fina fofa até o horário de irmos embora. Daí pra não ficar feio, resolvi ligar e adverti-lo que estávamos indo embora.
Ele estava, todo belo e pimpão na sua casa, fazendo nada. Só que não ligou porque...implesmente não quis ligar... Ele tinha ouvido meus recados no sábado...simmm, tinha ouvido.. só que ele não ligou de volta porque... porque... oras, que pergunta mais impertinente!! ele não ligou porque ele tá pouco se fodendo pra minha amizade!

Quando tem que acontecer...

O mundo eh realmente muito estranho.
Sábado cheguei em Sampa e não tinha muito o que fazer. Tinha, sim, milhões de coisas pendentes. Roupa pra checar, depilação, etc etc. Mas essas coisas naum tem graça nenhuma, ainda mais faze-las sozinha... Perder a cara-metade não fazia parte dos meus planos até o natal desse ano... então, sozinha, liguei para uma série de amigos que tem suas vidas, seus gostos, suas pendências...
Não adianta eu chegar aos 45 do segundo tempo pedindo atenção...as pessoas tem suas vidas
Aí liguei pro Ricardo (eu e minha mente idiota). Ele iria se encontrar com os carinhas da lista do New order online. Marquei com eles na Prainha (lugar não muito sugestível) à noitinha, prum lanche.
Ok. Lá fui eu para minhas tarefas, na maior pressa do mundo, depilação (aaiiiiiiiiiii), unhas (sacooo!), etc. E corri pra prainha... em vão. eles não estavam mais lá. Deviam ter ido à FNAC. Liguei pro celular e caixa postal direto...
Esperei simplesmente uma hora, como uma perfeita idiota que sou naquele lugar que só me trazia lembranças boas.l E nada... fui aà FNAC, e nada... liguei outras 84 vezes... e nada.
Fui pra casa chorando, muito chateada, porque é tão raro ter um saturday night fever em Sampa e quando tenho a oportunidade, tenho de voltar pra casa e dormir chorando às dez da noite...
minha mãe, por algum motivo, dotada de um dó incomum, me afagou a cabeça e disse que o amanhã sempre é um dia melhor. com exceção da véspera de natal, pra mim, qualqier dia é melhor que o outro).
Fui ao mdercado, revi amigos, me diverti, vendemos um pouco (dessa vez, devo confessar, estava bemmmmmmm fraco) e saindo de lá decidi ir à Loca.
Oras, depois de um findi chacoalhando a noite toda na sexta num onibus que perdeu o cabo de suspensão, um sábado ao som de lágrimas no travesseiro, eu merecia um final feliz, né não?
Apareceu um cara (lindo!!! lindo!!! lindo!!!) do meu lado, do nada, e começou a puxar papo.
gente, eu me sinto tão ridícula perante os homens... Parece que perdi totalmene a noção de comose comportar perante um ser humano com mais de onze anos ao lado. Me sinto uma idiota, sem saber o que falar (e adivinhe qual acaba sendo meu paop, sempre). Meu, o cara era muito bacana...mesmo!! na Loca!!! perdido, sozinho, lindo, straight, 32...

Minha mãe diz que boca de mãe só fala verdade...
vai ver ela estava certa...